PARTICIPE DE NOSSAS AÇÕES TRANFORME E SUA CONTRIBUIÇÃO EM UMA AÇÃO SOCIAL - DOE QUALQUER VALOR

CONTRIBUA: 9314 ITAU - 08341 2 NUMERO DA CONTA CORRENTE - deposite qualquer valor

FAÇA UM GESTO DE CARINHO E GENEROSIDADE DEPOSITE EM NOSSA CONTA CORRENTE ITAU AG; 9314 C/C 08341 2

CONTRIBUA QUALQUER VALOR PAG SEGURO UOL OU PELA AG: 9314 CONTA 08341 2 BANCO ITAU

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Conferência Nacional de Segurança Alimentar acontece até sexta (6) em Brasília


Ministra Tereza Campelo falou ao Revista Brasil sobre os objetivos da conferência



  • Eixo 1 – Comida de verdade: avanços e obstáculos para a conquista da alimentação adequada e saudável e da soberania alimentar.
  • Eixo 2 - Dinâmicas em curso, escolhas estratégicas e alcances da política pública.
  • Eixo 3 – Fortalecimento do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

Até sexta-feira (6), Brasília recebe o 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, com o tema "Comida de verdade no campo e na cidade: por direitos e soberania alimentar". O evento acontece no Centro de Convenções Ulisses Guimarães. Para falar sobre o assunto, o Revista Brasil entrevistou a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello.

A ministra comemora o fato de que esta é a primeira conferência de segurança alimentar nutricional que acontece depois que o Brasil saiu do chamado "Mapa da Fome" da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). Ela avalia que é um momento de olharmos para trás e fazer um balanço, mas também de olhar os próximos desafios. Lembra ainda que "foi exatamente na primeira conferência, com a presença do Betinho, ativista de direitos humanos, que lutou contra fome no Brasil, quando se abriu no Brasil essa pauta de combate a fome e miséria”.

Tereza Campello explicou que segundo dados da FAO, hoje a população está em torno de 1,7% em insegurança alimentar, que é quando a pessoa não come com a variedade alimentar necessária, mas não passa fome. Ela comenta que Indígenas, aquilombolas, população em algumas áreas isoladas ainda estão numa situação de insegurança alimentar grave: "o desafio é chegar nessa população. O Brasil não pode estar satisfeito em só sair do mapa da fome, temos que garantir que nenhuma pessoa, nenhuma comunidade isolada esteja nessa situação", diz.

Segundo a ministra, saímos do mapa da fome e entramos rapidamente no mapa do sobrepeso e da obesidade.

Ela fala do bolsa família, do aumento dos empregos formais com salários melhores, da valorização do salário-mínimo e esclarece que como destaque internacional, a FAO apontou quatro pontos como o Brasil saiu rapidamente do mapa da fome: a  melhoria do padrão de alimentação, fortalecimento da agricultura familiar, a merenda escolar e a participação popular.

O evento é uma parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e a Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan).

MIDIAS SOCIAIS COMPARTILHA...

Gostou? Compartilhe !!!
Ocorreu um erro neste gadget

Postagens populares

visitantes diariamente na REDE MANDACARURN