PARTICIPE DE NOSSAS AÇÕES TRANFORME E SUA CONTRIBUIÇÃO EM UMA AÇÃO SOCIAL - DOE QUALQUER VALOR

CONTRIBUA: 9314 ITAU - 08341 2 NUMERO DA CONTA CORRENTE - deposite qualquer valor

FAÇA UM GESTO DE CARINHO E GENEROSIDADE DEPOSITE EM NOSSA CONTA CORRENTE ITAU AG; 9314 C/C 08341 2

CONTRIBUA QUALQUER VALOR PAG SEGURO UOL OU PELA AG: 9314 CONTA 08341 2 BANCO ITAU

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Intolerância religiosa marcam sentença e abrem precedente... Babalorixa de Olinda/PE, o Edson Araújo...


Resultado de imagem para intolerancia religiosa charge
URGENTE: Pessoal,  Babalorixa  de Olinda/PE, o Edson Araújo, foi condenado a prisão por tocar seus tambores sagrados em rituais religiosos de seu terreiro. Os efeitos desta condenação são muito graves contra todo nosso povo, pois abre um precedente jurídico terrível de perseguição a todos nós. Por favor vamos nos articular para dar apoio ao babá e tentar reverter este crime de racismo contra a liberdade de culto. Vejam a sentença do juiz abaixo:
COMARCA DE OLINDA...

Resultado de imagem para intolerancia religiosa no brasil
Intolerancia religiosa marcam sentença e abrem precendente... Babalorixa  de Olinda/PE, o Edson Araújo...

Resultado de imagem para intolerancia religiosa no brasil


Publicado por Diário de Justiça do Estado de Pernambuco (extraído pelo Jusbrasil) - 4 dias atrás
Olinda - Juizado Especial Criminal
COMARCA DE OLINDA
JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL
EDITAL DE INTIMAÇÃO
Processo nº 0000035-16.2016.8.17.8031 - IT
Autor do fato: EDSON DE ARAÚJO NUNES
Advogados: Dr. Dário Pessoa de Barros, OAB/PE nº 17003, Dra. Edileide Maria de Souza Gomes, OAB/PE nº 5233, Dr. Victor Hugo Lins Mendes, OAB/PE nº 34.832 e Dr. Antônio Teobaldo Aymar Pedrosa, OAB/PE nº 9895.
Finalidade: intimar os advogados supra nominados da seguinte sentença:
Pelo exposto, ciente de que não há a menor dúvida da materialidade dos fatos e da autoria do acusado, agindo este por vontade livre e consciente da ilicitude dos fatos, julgo procedente a pretensão punitiva estatal para CONDENAR , como condenado tenho, Edson de Araújo Nunes, qualificado nos autos, como incurso nas penas do art. 42, da Lei das Contravencoes Penais . Passo a dosar a pena. Circunstâncias Judiciais do Art. 59 do Código Penal : Quanto à culpabilidade, verifica-se que o acusado é plenamente imputável, sendo inconteste o potencial conhecimento da ilicitude de seus atos e reprovável a sua conduta, perturbando o sossego alheio, abusando de instrumentos sonoros, importunado a vizinhança. O acusado é primário. A conduta social não restou apurada nos autos, devendo, portanto, ser considerada em seu favor. Sobre a personalidade do réu não pode ser avaliada, ante a ausência de elementos necessários. O motivo do crime não é reprovável. As circunstâncias do crime são comuns ao tipo do crime. As consequências do delito não são graves. Dosimetria da Pena : Examinadas, minudentemente, as prefaladas circunstâncias judiciais, fixo a pena-base em 15 (quinze) dias de prisão simples , que é a sanção definitiva em razão da ausência de circunstâncias legais ou de qualquer causa de aumento ou de diminuição da pena . A pena deverá ser cumprida em regime aberto, na forma do art. 6.º, da Lei de Contravencoes Penais, em estabelecimento a ser indicado pelo Juízo das Execuções Penais. Por ser uma medida socialmente recomendável, substituo a pena privativa de liberdade imposta ao réu pela restritiva de direitos prevista no art. 43, IV, do mesmo Código, devendo prestar serviços à comunidade, pelo tempo de duração da pena, na forma do art. 46 do mesmo estatuto penal, em estabelecimento a ser fixado pelo Juízo da Vara de Execuções das Penas Alternativas. Sem custas. Com o trânsito em julgado desta decisão: Lance-se o nome do réu no rol dos culpados; Expeça-se a Guia de Execução; Oficie-se ao Instituto de Identificação Tavares Buril comunicando acerca desta decisão. ¿ Comunique-se o TRE quanto ao conteúdo desta decisão, para os fins de suspensão dos direitos políticos do réu, nos termos do art. 15, inciso III, da Constituição Federal; Anotações e comunicações de estilo. Publique-se. Registre-se. Intimem-se. Olinda, 21 de março de 2017. Luiz Artur Guedes Marques. Juiz de Direito.
Luiz Artur Guedes Marques
Juiz de Direito

Resultado de imagem para intolerancia religiosa charge

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Profissionais de saúde investem pesado na formação continuada e permanentes qualificação sempre ...

Profissionais de saúde investem pesado na formação continuada e permanentes qualificação sempre ...
profissionais de saúde...Talentos renovados na arte do cuidar humanizado ...


#ODENSIE E MICHAEL jovens na luta e na vida...

***POR UM SUS EFETIVO ...PUBLICO  E GRATUITO E EQUÂNIME E COM RECURSOS...#EUTENHORGULHOSUS... #USUÁRIOSUS...
#HUMANISASUS...
#100%SUS...

domingo, 2 de abril de 2017

CAPACITAÇÃO BÁSICA SOBRE CONTROLE SOCIAL NO SUS ...vamos participar. ...oportunidades de capacitação SUS....

1 -  que: CAPACITAÇÃO BÁSICA SOBRE CONTROLE SOCIAL NO SUS - 8ª Região de Saúde do RN – Vale do Açu –
Quando: 04/04/2017. Terça-feira.
Quem: 13 CMS’s: Açu, Afonso Bezerra, Alto do Rodrigues, Angicos, Carnaubais, Fernando Pedroza, Ipanguaçu, Itajá, Paraú, Pendências, Porto do Mangue, São Rafael e Triunfo Potiguar. (4 conselheir@s: 2 do segmento dos usuários, 1 do segmento trabalhador em saúde e 1 do segmento gestor/prestador, além de uma vaga para a secretaria executiva).
Onde: Cine Teatro. Próximo a igreja matriz de Açu/RN.
Hora: 09h às 16h.
Responsável: CES/RN – Coordenação Estadual de Plenária -.
Público: Conselheir@s Municipais e Setex da 8ª Região de Saúde, Coordenação Estadual e Regional de Plenária/RN e Conselheir@s Estadual da região.



2 - O que: CAPACITAÇÃO BÁSICA SOBRE CONTROLE SOCIAL NO SUS - 2ª Região de Saúde do RN – Oeste -
Quando: 05/04/2017. Quarta-feira.
Quem: 14 CMS’s: Apodi, Areia Branca, Augusto Severo (Campo Grande), Baraúna, Caraúbas, Felipe Guerra, Governador Dix-Sept Rosado, Grossos, Janduís, Messias Targino, Mossoró, Serra do Mel, Tibau e Upanema. (4 conselheir@s: 2 do segmento dos usuários, 1 do segmento trabalhador em saúde e 1 do segmento gestor/prestador, além de uma vaga para a secretaria executiva).
Onde: Auditório da Faculdade de Enfermagem da UERN. Rua Dionísio Filgueira, vizinho ao Supermercado Cidade. Antigo Pague Menos, Centro, Mossoró/RN.
Hora: 09h às 16h.
Responsável: CES/RN – Coordenação Estadual de Plenária -.
Público: Conselheir@s Municipais e Setex da 2ª Região de Saúde, Coordenação Estadual de Plenária/RN e Conselheir@s Estadual da região.



3 - O que: CAPACITAÇÃO BÁSICA SOBRE CONTROLE SOCIAL NO SUS - 6ª Região de Saúde do RN – Alto Oeste -
Quando: 06/04/2017. Quinta-feira.
Quem: 37 CMS’s:  Água Nova, Alexandria, Almino Afonso, Antônio Martins, Coronel João Pessoa, Doutor Severiano, Encanto, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, Itaú, João Dias, José da Penha, Lucrécia, Luís Gomes, Major Sales, Marcelino Vieira, Martins, Olho D’água dos Borges, Paraná, Patu, Pau dos Ferros, Pilões, Portalegre, Rafael Fernandes, Rafael Godeiro, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Rodolfo Fernandes, São Francisco do Oeste, São Miguel, Serrinha dos Pintos, Severiano Melo, Taboleiro Grande, Tenente Ananias, Umarizal, Venha Ver e Viçosa. (4 conselheir@s: 2 do segmento dos usuários, 1 do segmento trabalhador em saúde e 1 do segmento gestor/prestador, além de uma vaga para a secretaria executiva).
Onde: Ufersa - Pau dos Ferros/RN.
Hora: 09h às 16h.
Responsável: CES/RN – Coordenação Estadual de Plenária -.
Público: Conselheir@s Municipais e Setex da 6ª Região de Saúde, Coordenação Estadual de Plenária/RN e Conselheir@s Estadual da região.



04 - O que: Plenária Regional de Conselhos de Saúde da 4ª Região de Saúde – Seridó -.
Quando: 07/04/2017. Sexta-feira.
Quem: 25 CMS’s:  Acari, Bodó, Caicó, Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, Cruzeta, Currais Novos, Equador, Florânia, Ipueira, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, Jucurutu, Lagoa Nova, Ouro Branco, Parelhas, Santana dos Matos, Santana do Seridó, São Fernando, São João do Sabugi, São José do Seridó, São Vicente, Serra Negra do Norte, Tenente Laurentino e Timbaúba dos Batistas. (4 conselheir@s: 2 do segmento dos usuários, 1 do segmento trabalhador em saúde e 1 do segmento gestor/prestador, além de uma vaga para a secretaria executiva).
Onde: Auditório da IV Ursap/Caicó/RN.
Hora: 08h30 às 16h.
Responsável: CES/RN – Coordenação Estadual de Plenária -.
Público: Conselheir@s Municipais e Setex da 4ª Região de Saúde, Coordenação Estadual/RN de Plenária, e Conselheir@s Estadual da região;


05 - O que: Plenária Regional de Conselhos de Saúde da 5ª Região de Saúde – Trairi/Potengi -.
Quando: 10/04/2017. Segunda-feira.
Quem: 21 CMS’s: Barcelona, Bom Jesus, Campo Redondo, Coronel Ezequiel, Jaçanã, Boa Saúde (Januário Cicco), Japi, Lagoa de Velhos, Lajes Pintadas, Serra Caiada (Presidente Juscelino), Ruy Barbosa, Santa Cruz, Santa Maria, São Bento do Trairí, São José de Campestre, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Tomé, Senador Elói de Souza, Sítio Novo e Tangará. (4 conselheir@s: 2 do segmento dos usuários, 1 do segmento trabalhador em saúde e 1 do segmento gestor/prestador, além de uma vaga para a secretaria executiva).
Onde: Auditório da Ursap/Santa Cruz/RN.
Hora: 08h30 às 16h.
Responsável: CES/RN – Coordenação Estadual de Plenária -.
Público: Conselheir@s Municipais e Setex da 5ª Região de Saúde, Coordenação Estadual/RN e Regional/5ª R.S. de Plenária, e Conselheir@s Estadual da região.






sábado, 1 de abril de 2017

Manifesto dos Povos Indígenas do RN contra o Decreto nº 9.010, de 23 de março de 2017, que reforça o desmonte da FUNAI...

Manifesto dos Povos Indígenas do RN contra o Decreto nº 9.010, de 23 de março de 2017, que reforça o desmonte da FUNAI...
Os Povos Indígenas do Rio Grande do Norte, das aldeias Sagi-Trabanda/Baía Formosa, Catu/Canguaretama-Goianinha, Tapará/Macaíba-São Gonçalo do Amarante, Mendonças do Amarelão, Serrote de São Bento e Assentamento Santa Terezinha/João Câmara, Caboclos/Assú e Apodi, pertencentes às etnias Potiguara, Tapuia e Tapuia Paiacú, manifestam sua INDIGNAÇÃO e REPÚDIO contra o Decreto nº 9.010, de 23 de março de 2017 do Governo Federal. Esse Decreto legitima mais um ataque do Governo ANTI-INDÍGENA de Michel Temer, em concordância com o então Ministro da Justiça, Osmar Serraglio, e Antônio Costa, atual Presidente da Fundação Nacional do Índio – FUNAI, reforçando o claro objetivo deste Governo em desmontar a FUNAI e acabar com a política indigenista no país. O Governo Federal e o Congresso Nacional, com sucessivos ataques aos direitos dos povos indígenas, vêm enfraquecendo a política institucional de defesa dos direitos dos povos indígenas e com este último GOLPE intensifica o processo de EXTINÇÃO do órgão indigesta.
Esse Decreto DESRESPEITA o Artigo 6º da Convenção 169/OIT, que trata do direito à consulta livre, prévia e informada,
“Na aplicação das disposições da presente Convenção, os governos deverão:
a) Consultar os povos interessados, por meio de procedimentos adequados e, em particular, de suas instituições representativas, sempre que sejam previstas medidas legislativas ou administrativas suscetíveis de afetá-los diretamente;
b) Criar meios pelos quais esses povos possam participar livremente, ou pelo menos na mesma medida assegurada aos demais cidadãos, em todos os níveis decisórios de instituições eletivas ou órgãos administrativos responsáveis por políticas e programas que lhe afetem”.
O Decreto desrespeita também a Resolução nº 006 de 2016 do Conselho Nacional de Política Indigenista, de 25 de novembro de 2016
2) propor, no intuito de assegurar o respeito aos povos e ao Conselho, a imediata paralisação da tramitação do processo relativo a este Decreto de reestruturação da Funai e de qualquer outra iniciativa análoga por parte do Governo Brasileiro e que o mesmo abra dialogo com este Conselho e com os Povos Indígenas do Brasil, a fim de que o direito de Consulta livre, prévia e informada seja devidamente respeitado e atendido.
E vem reforçar o processo de desmonte da FUNAI. Diante desta falta de respeito do Governo com os povos indígenas, LUTAREMOS E ACIONAREMOS AS INSTÂNCIAS JURÍDICAS para fazer valer o direito à consulta, conforme o Artigo 6º da Convenção 169/OIT. Tal falta de respeito à referida Convenção é vista por exemplo na nomeação de uma coordenadora, para a CR Nordeste II, ligada aos ruralistas do estão do Ceará, que vai de encontro ao que é reivindicado pelo movimento indígena.
Deixamos claro através deste MANIFESTO que NÃO ACEITAREMOS em nenhum momento esse desmonte da política indigenista oficial, que nada mais é do que uma nova tentativa de acabar com os povos indígenas do Brasil. LUTAREMOS ATÉ O MOMENTO EM QUE ESSE DECRETO FOR REVOGADO. E INTENSIFICAREMOS O ENFRENTAMENTO para que o Órgão Indigenista seja fortalecido, principalmente em suas estruturas regionais e locais, para cumprir com suas atribuições institucionais quanto à proteção desses territórios e a promoção dos direitos indígenas.
Dentro desse ataque, NÃO ACEITAREMOS O FECHAMENTO DA COORDENAÇÃO TÉCNICA LOCAL DO RIO GRANDE DO NORTE, visto que é uma conquista dos povos indígenas há pouco mais de 6 anos, no ano de 2011, e que muito contribui para o desenvolvimento da política indigenista, onde historicamente é colocado a situação de não mais existência dos povos indígenas, a invisibilidade e o preconceito institucional são intensificados cotidianamente.
SOMOS OS VERDADEIROS DONOS DESSAS TERRAS, ESTAMOS RESISTINDO AOS ATAQUES ANTI-INDÍGENAS DESDE AS PRIMEIRAS INVASÕES AO NOSSO TERRITÓRIO, HÁ MAIS 517 ANOS, E RESISTIREMOS SEMPRE!
Povos indígenas do Rio Grande do Norte
Natal, 31 de março de 2017.

sexta-feira, 31 de março de 2017

DPE/RN, Comitê Estadual e sociedade discutem erradicação do subregistro civil Destacam-se presença das religiosas de matriz africana no RN...

DPE/RN, Comitê Estadual e sociedade discutem erradicação do subregistro civil

Destacam-se presença de várias lideranças entre elas  a comissão de povos de terreiro do RN...  Ekedji Lúcia D'Exu e a Yalorixa Luciene D'Togun...Na luta constante pela garantia afirmativa de direitos políticas públicas e efetividade  advocacy e conquistas ...
REDE MANDACARU BRASIL  E COMISSÃO DE POVOS DE TERREIRO DO RN...



Reunião debate erradicação do subregistro de civil de nascimento
A Defensoria Pública do Rio Grande do Norte (DPE/RN) participou nesta quinta-feira (30) da reunião do Comitê Estadual de Erradicação do Subregistro Civil de Nascimento. Durante o encontro, realizado na Escola de Governo, foram apresentadas as inúmeras demandas dos grupos sociais, juridicamente, considerados hipervulneraveis e que merecem proteção especial do Poder Público.
O representante do Comitê Nacional da Secretaria de Direitos Humanos do Ministério da Justiça, Thiago Garcia, destacou a prioridade da política pública de erradicação do subregistro civil de nascimento sobretudo para os grupos socialmente vulneráveis, sendo considerados prioritários para o Ministério da Justiça os indígenas, quilombolas, ciganos, trabalhadores rurais, população de origem africana, extrativistas ribeirinhas, transgeneros, população em situação de rua, população carcerária.

Para atingir a meta, foram estabelecidas três linhas de trabalho: qualificação de informações para superar a invisibilidade dos grupos sociais; construir fluxo de atendimento para cada grupo social; realizar mutirões de atendimento.

“Diariamente, o Núcleo de Primeiro Atendimento Civel atende pessoas que buscam o suprimento, a retificação ou mesmo a simples emissão de nova certidão de nascimento, sendo a demanda, neste último caso, resolvida com simples requisição aos Cartórios de Registro Civil. Além disso, em fevereiro deste ano, através do Núcleo Especializado de Defesa dos Grupos Sociais Vulneráveis , foi realizado mutirão de atendimento para retificação de nome e gênero da população trans, que se mostrou muito positivo em face da participação ativa do grupo social", registrou a defensora pública, Cláudia Queiroz, presente na reunião.

A Defensora Pública destacou também nas edições do programa “Defensoria na Comunidade” a maior parte das demandas se refere aos registros civis, documentos essenciais ao exercício da cidadania. A reunião do Comitê, Coordenado pela SEJUC, contou com a participação de diversos grupos sociais como população de rua, ciganos, trabalhadores rurais, transexuais, descendentes de africanos, além de órgãos estaduais e federais como a Sesap e Funai.

quinta-feira, 30 de março de 2017

COMUNICADO: IV CONAPIR

REDEMANDACARU BRASIL
COMISSÃO DE POVOS DE TERREIRO DO RN

#COMUNICADO: IV CONAPIR

www.mandacarurn.blogs pot.com.br. ...

Diante da mudança ministerial, ocorrida recentemente, a qual a Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR passou a fazer parte da estrutura do recém-criado Ministério dos Direitos Humanos, por força da Medida Provisória nº 768, de 02 de fevereiro de 2017, comunicamos que retomaremos em breve os trabalhos referentes à organização da IV Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial – IV CONAPIR, considerando a reestruturação em curso do novo ministério.

Informamos, ainda, que qualquer decisão deliberada acerca da IV CONAPIR, instituído através do Decreto Presidencial de 29 de novembro de 2016, cujo tema “O Brasil na década dos afrodescendes: Reconhecimento. Justiça. Desenvolvimento” será oportunamente comunicada aos(às) Gestores(as) Estaduais de Promoção da Igualdade Racial.

Na certeza do compromisso com a construção da democracia e do desenvolvimento com justiça social, colocamo-nos à disposição para quaisquer informações...
Fonte:SEPPIR DF .BSB...MINISTÉRIO DH - DF. BSB...
www.mandacarurn.blogspot.com.br




terça-feira, 28 de março de 2017

Oportunidade comercialização de produtos panae e paa compra direta e merendas escolar...

O IFRN está levantando a relação dos produtos da Agricultura familiar que poderão constar na chamada do PNAE 2017 de todos os Institutos do RN. As Associações e cooperativas interessadas, enviar e-mail para eduarda.andrade@ifrn.edu.br
 Enviar quais produtos e o município

Prevenção para a Vida... NOSSA COTA DE PREVENÇÃO JA ESTA DISPONÍVEL. ...

PEVENCAO PARA A VIDA ...
REDE MANDACARU BRAS 084 98803 5580

Masculina

A camisinha é o método mais eficaz para se prevenir contra muitas doenças sexualmente transmissíveis, como a Aids, alguns tipos de hepatites e a sífilis, por exemplo. Além disso, evita uma gravidez não planejada. Por isso, use camisinha sempre.
Mas o preservativo não deve ser uma opção somente para quem não se infectou com o HIV. Além de evitar a transmissão de outras doenças, que podem prejudicar ainda mais o sistema imunológico, previne contra a reinfecção pelo vírus causador da Aids, o que pode agravar ainda mais a saúde da pessoa.

Cuidados necessários ao usar a camisinha

• Guardar a camisinha em local fresco e seco.
• Nunca abra a embalagem da camisinha com os dentes ou outros objetos que possam danificá-la.
• Colocar a camisinha desde o começo do contato entre o pênis e a vagina.
• Apertar a ponta da camisinha enquanto ela é desenrolado para tirar o ar. Se o reservatório destinado ao sêmem estiver cheio de ar, a camisinha pode estourar.
• Somente lubrificantes à base d'água devem ser utilizados junto com a camisinha, como é o caso do KY. Já a vaselina e outros lubrificantes à base de petróleo não devem ser usados, já que causam rachaduras na camisnha, acabando com a capacidade dele de proteger contra doenças e gravidez.
• Transar uma única vez com cada camisinha. Usar a camisinha mais de uma vez não previne contra as DST e gravidez.
• Tire a camisinha com o pênis ainda duro, logo depois da ejaculação.

Colocando a camisinha

1.
Abra a embalagem com cuidado - nunca com os dentes - para não furar a camisinha.
Coloque a camisinha somente quando o pênis estiver ereto.
2.
Desenrole a camisinha até a base do pênis, mas antes aperte a ponta para retirar o ar.
Só use lubrificantes à base de água, evite vaselina e outros lubrificantes à base de óleo.
3.
Após a ejaculação, retire a camisinha com o pênis ainda duro, fechando com a mão a abertura para evitar que o esperma vaze da camisinha.
4.
Dê um nó no meio da camisinha e jogue-a no lixo.
Nunca use a camisinha mais de uma vez.
Usar a camisinha duas vezes não previne contra doenças e gravidez.

Principais erros no uso da camisinha

Guardar em lugar incorreto
Guardar a camisinha na carteira ou no porta-luvas pode danificá-la. Por isso, mantenha-a em local fresco e seco.
Abrir com os dentes e outros objetos cortantes
Nunca abra a camisinha com os dentes ou outros objetos que possam danificá-la.
Usar só na hora da penetração
A camisinha deve ser colocada desde o começo do contato entre o pênis e a vagina.
Só colocar na hora da ejaculação
A transmissão de DST e a gravidez podem acontecer antes da ejaculação.
Colocar do avesso
Assim é mais difícil colocar a camisinha e o rompimento pode acontecer facilmente.
Não tirar o ar do reservatório ao colocar a camisinha
Se o reservatório destinado ao sêmem estiver cheio de ar, a camisinha pode estourar. Por isso, é importante apertar a ponta do preservativo enquanto ele é desenrolado.
Passar lubrificantes que não sejam à base d'água
Vaselina e outros lubrificantes à base de petróleo causam rachaduras no preservativo, acabando com a capacidade dele de proteger contra doenças e gravidez.
Transar duas vezes com a mesma camisinha
A camisinha só pode ser usada uma única vez. Usá-la mais de uma vez não previne contra as DST e gravidez.
Usar duas camisinhas ao mesmo tempo não aumenta a proteção
Nunca use duas camisinhas ao mesmo tempo. Isso só aumenta o risco dela se romper ou estourar.
Só tirar depois que o pênis amolecer dentro da vagina
Com o pênis mole, o sêmem pode vazar da camisinha entrando em contato com a vagina. Tire a camisinha com o pênis ainda duro, logo depois da ejaculação.

fonte: www.aids.gov.br

sexta-feira, 24 de março de 2017

SUPERANDO O RACISMO NA ESCOLA...

reedição de Superando o Racismo na Escola dá-se no contexto aberto pela sanção da Lei no 10.639/2003, que alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e tornou obrigatório o ensino de história e cultura afro-brasileiras nos estabelecimentos de ensinos fundamental e médio, oficiais e particulares.
A reflexão sobre o lugar das tradições africanas no redesenho cultural da escola brasileira incentiva professores e professoras a relacionarem-se  com o mundo de possibilidades que a sociabilidade negra criou, para além das referências e práticas eurocêntricas, cujas reiteração e reprodução na escola brasileira ainda fazem desta mais um problema do que uma solução para os desafios de nossa sociedade.
Organizado por Kabengele Munanga, e editado pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e diversidade (SECAD)/Ministério da Educação (MEC), trata-se de uma obra para refletir e propor mudanças contra uma das mais perversas formas de violência perpetradas cotidianamente na sociedade brasileira. Os destinatários naturais deste livro são os professores(as) da educação básica. Esta obra sugere atitudes práticas de desconstrução e reversão da ideologia e dos estereótipos racistas no cotidiano escolar. Superando o racismo na escola, apresenta os trabalhos de onze professores e especialistas em educação. Os textos são de autoria de Ana Célia da silva, Antônio olímpio de Sant’Ana, Gloria Moura, Helena Theodoro, Heloisa Pires Lima, Inaldete Pinheiro de Andrade, Maria José Lopes da Silva, Nilma Lino Gomes, Petronilha Beatriz Gonçalves, Rafael Sanzio Araújo dos Anjos e Véra Neusa Lopes. Fonte...portal geledes. ...
Superando o racismo na escola

terça-feira, 21 de março de 2017

Entenda o projeto maletas do futuro...REDE MANCARU BRASIL E CANAL FUTURA MAIS QUE. UMA PARCERIA UMA VIDA UMA HISTORIA...

PROJETO MALETA DO FUTURO. ...
Empenhado na transformação social do Brasil, o Futura expande seu raio de ação para além da sintonia de um canal televisivo. O projeto Maleta Futura nasceu com o objetivo de aproximar seu conteúdo audiovisual da sociedade, mas também da vontade de que a própria elaboração de conteúdo se transformasse com essa aproximação. Não se trata de manter uma lógica produtiva tradicional, tomando determinado segmento social como tema ou como público-alvo, mas sim de interagir efetivamente com a comunidade, buscando uma produção que se faça nesse contato com setores que costumam ser apenas audiências.
Maleta Futura consiste em um kit composto por uma seleção, em DVD, de programas do acervo recente do canal feita a partir de recortes temáticos, variando de acordo com a reflexão que se deseja estimular, além de indicações de outras fontes, como filmes, documentários e sites. Somam-se ao audiovisual: material impresso inédito, produzido junto a consultores externos; material temático de instituições parceiras; produtos lúdicos e educativos. Tudo isso é reunido em uma mala, customizada conforme o tema em questão. O formato lembra o da maleta de caixeiros viajantes e sugere o acréscimo de novos itens.
Uma das estratégias para organizar a distribuição da programação do canal, a Maleta Futura também permite acompanhar o percurso da programação divulgada. Isso tem sido feito por meio da articulação de parcerias e do estímulo ao diálogo entre canal e instituições sociais. Assim, além de potencializar o alcance metodológico de suas produções, o Futura conta com novas fontes de informação e de pautas, com ampliação de sua rotina produtiva pela interação com redes comunitárias.

Como acontece?

Como acontece
Começando pela definição do tema e pesquisa do material que irá compor o acervo da Maleta Futura, o projeto envolve diferentes etapas de produção que englobam pesquisa de materiais com parceiros nos territórios, escolha dos programas, elaboração de conteúdo do caderno de atividades e confecção da maleta produto.
Em paralelo, as equipes de Mobilização e Articulação Comunitária nas regiões mapeiam instituições de referência que atuam como articuladoras de redes em seus territórios para apresentar o projeto. A partir deste momento é assinado um termo de cooperação técnica com as organizações que manifestam formalmente interesse em aderirem ao projeto, aceitando as responsabilidades de monitoramento envolvidas.
Com as maletas e seus conteúdos prontos, passa-se à sua implementação. As instituições que aderem ao projeto passam a contar com o apoio da equipe do Futura na implementação do projeto. Para ampliar o alcance do trabalho, duas versões do material são distribuídas. Cada parceiro recebe uma “maleta completa”, com todos os programas, cadernos e demais materiais, e se responsabilizam por replicar para suas redes as “maletas básicas”, versões reduzidas capazes de atingir maior número de organizações. Todas as atividades devem ser cadastradas em um banco de dados virtual do projeto.
Ao longo dos dois anos de desenvolvimento do projeto, ocorrem encontros presenciais e participação do Futura nas agendas estratégicas das organizações parceiras. Entre os encontros presenciais estão: apresentação da maleta às instituições selecionadas; preparação dos planos de utilização junto àquelas que aderiram ao projeto; monitoramento, para rever os planos traçados; alinhamento, para nova revisão e estabelecimento de agenda estratégica; avaliação do impacto social. Monitoramentos telefônicos também são previstos. Após a etapa final de avaliação, visa-se manter a rede de parceiros com ocasional envio de materiais relacionados e canal de comunicação aberto pelo site do projeto.
Mapa de Difusão das Maletas Futura

Maletas nas redes de parceiros mantenedores do Futura

Além das instituições que aderem formalmente ao projeto, unidades das maletas básicas são distribuídas nas redes de alguns parceiros mantenedores: Fundação Bradesco, FIESP e FIRJAN. Esta articulação permite, além de alcance nacional de distribuição das Maletas Futura, observar possibilidades metodológicas de uso do material em escolas. O acompanhamento e monitoramento das mesmas acontecem de forma diferenciada, com compilação anual de resultados.

Números gerais do projeto

Ao longo de cinco anos de atuação:
171 instituições receberam as maletas completes
2.234 instituições receberam as maletas básicas
Público potencial de 1.5 milhões de pessoas (20% de jovens)
974 municípios brasileiros envolvidos
Ir

MIDIAS SOCIAIS COMPARTILHA...

Gostou? Compartilhe !!!
Ocorreu um erro neste gadget

Postagens populares

visitantes diariamente na REDE MANDACARURN