PARTICIPE DE NOSSAS AÇÕES TRANFORME E SUA CONTRIBUIÇÃO EM UMA AÇÃO SOCIAL - DOE QUALQUER VALOR

CONTRIBUA: 9314 ITAU - 08341 2 NUMERO DA CONTA CORRENTE - deposite qualquer valor

FAÇA UM GESTO DE CARINHO E GENEROSIDADE DEPOSITE EM NOSSA CONTA CORRENTE ITAU AG; 9314 C/C 08341 2

CONTRIBUA QUALQUER VALOR PAG SEGURO UOL OU PELA AG: 9314 CONTA 08341 2 BANCO ITAU

sexta-feira, 31 de março de 2017

DPE/RN, Comitê Estadual e sociedade discutem erradicação do subregistro civil Destacam-se presença das religiosas de matriz africana no RN...

DPE/RN, Comitê Estadual e sociedade discutem erradicação do subregistro civil

Destacam-se presença de várias lideranças entre elas  a comissão de povos de terreiro do RN...  Ekedji Lúcia D'Exu e a Yalorixa Luciene D'Togun...Na luta constante pela garantia afirmativa de direitos políticas públicas e efetividade  advocacy e conquistas ...
REDE MANDACARU BRASIL  E COMISSÃO DE POVOS DE TERREIRO DO RN...



Reunião debate erradicação do subregistro de civil de nascimento
A Defensoria Pública do Rio Grande do Norte (DPE/RN) participou nesta quinta-feira (30) da reunião do Comitê Estadual de Erradicação do Subregistro Civil de Nascimento. Durante o encontro, realizado na Escola de Governo, foram apresentadas as inúmeras demandas dos grupos sociais, juridicamente, considerados hipervulneraveis e que merecem proteção especial do Poder Público.
O representante do Comitê Nacional da Secretaria de Direitos Humanos do Ministério da Justiça, Thiago Garcia, destacou a prioridade da política pública de erradicação do subregistro civil de nascimento sobretudo para os grupos socialmente vulneráveis, sendo considerados prioritários para o Ministério da Justiça os indígenas, quilombolas, ciganos, trabalhadores rurais, população de origem africana, extrativistas ribeirinhas, transgeneros, população em situação de rua, população carcerária.

Para atingir a meta, foram estabelecidas três linhas de trabalho: qualificação de informações para superar a invisibilidade dos grupos sociais; construir fluxo de atendimento para cada grupo social; realizar mutirões de atendimento.

“Diariamente, o Núcleo de Primeiro Atendimento Civel atende pessoas que buscam o suprimento, a retificação ou mesmo a simples emissão de nova certidão de nascimento, sendo a demanda, neste último caso, resolvida com simples requisição aos Cartórios de Registro Civil. Além disso, em fevereiro deste ano, através do Núcleo Especializado de Defesa dos Grupos Sociais Vulneráveis , foi realizado mutirão de atendimento para retificação de nome e gênero da população trans, que se mostrou muito positivo em face da participação ativa do grupo social", registrou a defensora pública, Cláudia Queiroz, presente na reunião.

A Defensora Pública destacou também nas edições do programa “Defensoria na Comunidade” a maior parte das demandas se refere aos registros civis, documentos essenciais ao exercício da cidadania. A reunião do Comitê, Coordenado pela SEJUC, contou com a participação de diversos grupos sociais como população de rua, ciganos, trabalhadores rurais, transexuais, descendentes de africanos, além de órgãos estaduais e federais como a Sesap e Funai.

MIDIAS SOCIAIS COMPARTILHA...

Gostou? Compartilhe !!!
Ocorreu um erro neste gadget

Postagens populares

visitantes diariamente na REDE MANDACARURN