PARTICIPE DE NOSSAS AÇÕES TRANFORME E SUA CONTRIBUIÇÃO EM UMA AÇÃO SOCIAL - DOE QUALQUER VALOR

CONTRIBUA: 9314 ITAU - 08341 2 NUMERO DA CONTA CORRENTE - deposite qualquer valor

FAÇA UM GESTO DE CARINHO E GENEROSIDADE DEPOSITE EM NOSSA CONTA CORRENTE ITAU AG; 9314 C/C 08341 2

CONTRIBUA QUALQUER VALOR PAG SEGURO UOL OU PELA AG: 9314 CONTA 08341 2 BANCO ITAU

terça-feira, 28 de outubro de 2014

A tuberculose fez 1,5 milhões de vítimas entre as nove milhões de pessoas que contraíram a doença em 2013, um número superior às estimativas iniciais, revelou esta quarta-feira, em Genebra, a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os valores constam do relatório anual sobre a tuberculose, apresentado hoje em conferência de imprensa, que acrescenta que entre os 1,5 milhões de vítimas mortais, 360 mil eram doentes infetados com VIH/Sida.

A estimativa inicial era de 8,6 milhões de casos e segundo o diretor do programa da OMS de combate à tuberculose, Mario Raviglione, o aumento deve-se "aos investimentos nos sistemas de monitoração e vigilância (...) que proporcionam mais e melhores dados" sublinhando que "a tuberculose é a segunda doença infecciosa que mata mais, situando-se perto do VIH". 

No entanto, a taxa de mortalidade de tuberculose diminuiu 45% desde 1990 e o número de novas infeções diminuiu para 1,5% por ano, com cerca de 37 milhões de vidas salvas desde 2000 devido a diagnósticos feitos em tempo útil e aos tratamentos assegurados.
Em paralelo, o número de novos casos de tuberculose multirresistente (MDR-TB) atingiu os 480 mil em 2013 no mundo, e as regiões mais afetadas foram a Europa de Leste e a Ásia Central.

Causada por bactérias que não respondem a dois dos principais medicamentos usados no tratamento, Mario Raviglione salientou que esta forma de tuberculose "é mais complicada de tratar, por requerer mais esforços, mais tempo e provocar mais efeitos indesejáveis". 

Além disso, alguns países notificaram casos em que os pacientes contraíram XDR-TB, uma forma severa de MDR-TB, sendo que a resposta aos tratamentos é de 48% para os pacientes com MDR-TB e 22% para os pacientes com XDR-TB. 

A OMS avisou que apesar dos progressos, a investigação e os desenvolvimentos de medicamentos contra a tuberculose carece de fundos. 

O relatório hoje apresentado à imprensa será debatido na próxima semana em Barcelona, no quadro da conferência mundial sobre a Saúde do pulmão. 

MIDIAS SOCIAIS COMPARTILHA...

Gostou? Compartilhe !!!
Ocorreu um erro neste gadget

Postagens populares

visitantes diariamente na REDE MANDACARURN