PARTICIPE DE NOSSAS AÇÕES TRANFORME E SUA CONTRIBUIÇÃO EM UMA AÇÃO SOCIAL - DOE QUALQUER VALOR

CONTRIBUA: 9314 ITAU - 08341 2 NUMERO DA CONTA CORRENTE - deposite qualquer valor

FAÇA UM GESTO DE CARINHO E GENEROSIDADE DEPOSITE EM NOSSA CONTA CORRENTE ITAU AG; 9314 C/C 08341 2

CONTRIBUA QUALQUER VALOR PAG SEGURO UOL OU PELA AG: 9314 CONTA 08341 2 BANCO ITAU

quinta-feira, 14 de março de 2013

PAM 2013 RN - SESAP/RN E MS - PLANEJANDO AÇÕES E METAS E RECURSOS NA LUTA E CONVIVENCIA HEPAIDS NO RN OSC/ONG AIDS E SECRETARIAS DE SAUDE DO RN E MINSTERIO DA SAUDE DEFINEN AÇÕES ANUAIS E REGULAM E DEFINEM AÇÕES... AIDS E ENSINAMENTOS EM REDE NACIONAL.









PAM 2013 RN - SESAP/RN E MS - PLANEJANDO AÇÕES E METAS E RECURSOS NA LUTA E CONVIVENCIA HEPAIDS NO RN OSC/ONG AIDS  E SECRETARIAS DE SAUDE DO RN E MINSTERIO DA SAUDE DEFINEN AÇÕES ANUAIS E REGULAM E DEFINEM AÇÕES....


RELEMBRANDO PAM 2012 -Saúde repassa R$ 30 milhões para hepatites virais

Nessa primeira etapa, 22 estados e o Distrito Federal receberão R$ 9 milhões para ações de controle da doença no Brasil em 2012
Conteúdo extra: Galeria de fotos
Começa nesta sexta-feira (23), o envio, aos estados e DF, de recursos específicos para enfrentamento das hepatites virais no ano de 2012. A verba é destinada a iniciativas de prevenção, vigilância, gestão e parceria com a sociedade civil. O compromisso foi assumido pelo Ministério da Saúde em dezembro de 2011, na Portaria nº 2.849 e o repasse deste ano será realizado em três parcelas – para a primeira fase, já foram liberados R$ 9 milhões.
“Trata-se de mais um instrumento que reforça o empenho do governo federal no enfrentamento dessas doenças”, enfatiza Dirceu Greco, diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. O cálculo da distribuição foi feito a partir de critérios epidemiológicos e de população. A escolha dos municípios prioritários e o valor destinado a cada um deles foi pactuado entre os gestores locais, em comissão bipartite.
O próximo passo para os estados já contemplados é a elaboração da Programação Anual de Metas (PAM), que deve conter como e onde serão investidos os recursos repassados.
Após a publicação da Portaria nº 2.849, em dezembro do ano passado, 14 estados se habilitaram e já passaram a receber o financiamento correspondente ao ano de 2011 da ordem de R$ 16,4 milhões. A este recurso somam-se R$ 30 milhões destinados para 2012.




Repasse para controle das hepatites virais no Brasil



1ª parcela de 2012

 Total de 2012 (em R$)

Acre

                         58.948,33

                       176.845,00

Amazonas

                       283.825,67

                       851.477,00

Amapá

em processo de habilitação

                       163.614,00

Maranhão

                       545.054,00

                    1.635.162,00

Mato Grosso

                       283.999,67

                       851.999,00

Pará

                       638.026,33

                    1.914.079,00

Rondônia

                       141.871,00

                       425.613,00

Roraima

                         37.105,33

                       111.316,00

Tocantins

                       120.212,00

                       360.636,00

Alagoas

                       160.614,67

                       481.844,00

Bahia

                       761.544,33

                    2.284.633,00

Ceará

liberação em andamento

                    1.350.614,00

Espírito Santo

                       202.156,00

                       606.468,00

Goiás

                       342.686,33

                    1.028.059,00

Minas Gerais

                    1.123.578,00

                    3.370.734,00

Mato Grosso do Sul

                       136.225,33

                       408.676,00

Paraíba

                       202.504,00

                       607.512,00

Pernambuco

                       478.733,00

                    1.436.199,00

Piauí

liberação em andamento

                       496.486,00

Rio de Janeiro

                       938.540,33

                    2.815.621,00

Rio Grande do Norte

                       173.690,67

                       521.072,00

Sergipe

                       110.880,67

                       332.642,00

Paraná

                       372.795,33

                    1.118.386,00

São Paulo

                    1.518.717,33

                    4.556.152,00

Distrito Federal

                         91.576,67

                       274.730,00

Rio Grande do Sul

                       382.415,33

                    1.147.246,00

Santa Catarina

liberação em andamento

                       672.185,00

Total

                    8.991.108,34

                   30.000.000,00

Por Daniela Brito
Atendimento à imprensa
(61) 3306-7024/7051/7010/7016



Projeto DEBI Brasil

    O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, em parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública/Fiocruz e com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), implementa estratégias de prevenção ao HIV e outras DST para gays e outros HSH, cujos resultados em termos de efetividade já foram cientificamente comprovados. Essas estratégias de prevenção fazem parte de um programa do CDC chamado DEBI (sigla em inglês para Difusão de Intervenções Comportamentais Efetivas). A transferência de tecnologia para o contexto brasileiro integra o programa DEBI Brasil que atualmente é associado à execução de três projetos-piloto até dezembro de 2011, desenvolvidos por ONGs parceiras, em Fortaleza, Porto Alegre e no Rio de Janeiro. As três estratégias de prevenção que fazem parte desse programa-piloto do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais são: Líder de Opinião Popular, Muitos Homens Muitas Vozes e MPowerment.
    O que é o DEBI
    O DEBI é uma estratégia norte-americana de nível nacional para oferecer treinamento de alta qualidade e assistência técnica permanente em intervenções de prevenção do HIV, das DST e das hepatites virais, selecionadas com base em evidências. Essa capacitação se destina a equipes de programas estaduais e comunitários de HIV/DST. As ações dentro das comunidades têm-se provado efetivas por meio de estudos de pesquisa que mostraram resultados positivos em termos comportamentais (uso de preservativos; redução no número de parceiros) e/ou de saúde (redução no número de novas infecções por DST). Os estudos empregaram rigorosos desenhos de pesquisa. Com o adequado treinamento e os kits montados a partir da contribuição de pesquisadores, os serviços de saúde podem ampliar as oportunidades de conduzir programas efetivos de prevenção do HIV, às hepatites virais e a outras doenças sexualmente transmissíveis nas comunidades.

Estratégia Líder de Opinião Popular

Estratégia MPowerment

 http://www.aids.gov.br/pagina/debi-brasil


Leis e normas



MIDIAS SOCIAIS COMPARTILHA...

Gostou? Compartilhe !!!
Ocorreu um erro neste gadget

Postagens populares

visitantes diariamente na REDE MANDACARURN