PARTICIPE DE NOSSAS AÇÕES TRANFORME E SUA CONTRIBUIÇÃO EM UMA AÇÃO SOCIAL - DOE QUALQUER VALOR

CONTRIBUA: 9314 ITAU - 08341 2 NUMERO DA CONTA CORRENTE - deposite qualquer valor

FAÇA UM GESTO DE CARINHO E GENEROSIDADE DEPOSITE EM NOSSA CONTA CORRENTE ITAU AG; 9314 C/C 08341 2

CONTRIBUA QUALQUER VALOR PAG SEGURO UOL OU PELA AG: 9314 CONTA 08341 2 BANCO ITAU

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Evento de cultura africana gera confusão na zona Leste de Natal


Em
Cidades

Evento de cultura africana gera confusão na zona Leste de Natal

Fato aconteceu na Rua da Misericórdia, no bairro de Cidade Alta, zona Leste de Natal


Por Saulo de Castro
Moradora diz estar assustada (Foto: Wellington Rocha)
Moradora diz estar assustada (Foto: Wellington Rocha)
Até onde pode ir a intolerância cultural? Na zona Leste de Natal a discordância entre diferentes ritos culturais gerou desentendimento entre vizinhos e até ameaças de morte. O fato aconteceu na Rua da Misericórdia, no bairro de Cidade Alta, quando uma moradora foi impedida de realizar uma festividade porque a mesma tinha em sua configuração traços da cultura afro.
Lucinha Moreno, idealizadora do evento intitulado “Natal na Aldeia, Natal no Terreiro” conta que sempre trabalhou com diferentes culturas na associação que mantem naquela localidade. segundo ela, a cultura indiana sempre foi o seu forte e até então nunca tinha ocorrido nenhum tipo de problemas com a vizinhança.
Ela diz que as coisas começaram a mudar quando decidiu incorporar às suas atividades ritos característicos da cultura afro. “Não fazia sentido eu trabalhar com cultura ignorando as diferentes representações artísticas”, explicou ela.
Lucinha conta que na noite dessa quarta-feira (2) quando uma equipe técnica da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), que patrocina o projeto, parte dos vizinhos se voltaram contra os trabalhadores e chegaram jogar pedras e a ameaça-los com uma faca. Temendo o pior os trabalhadores foram embora sem concluir a montagem do palco para o evento.
Reclusa dentro de casa, Lucinha recebeu a reportagem do portalnoar.com na tarde desta quinta-feira (3) e disse estar temerosa. “Tenho medo, pois moro sozinha e não sei até onde a intolerância das pessoas pode chegar”, disse ela, que julgou como inaceitável tal postura nos dias de hoje.
Atualizado em 3 de julho às 17:02

MIDIAS SOCIAIS COMPARTILHA...

Gostou? Compartilhe !!!
Ocorreu um erro neste gadget

Postagens populares

visitantes diariamente na REDE MANDACARURN